domingo, abril 30, 2006

 

Textos que publiquei e que viraram destaque


Coisas que já publiquei na web e que viraram destaque -Pergunte ao Senador PUNIÇÃO SÓ PARA OS POBRES Marcelo Bonfim Coimbra, de São José da Barra (MG) "Gostaria de saber por que uma pessoa pobre, quando comete um pequeno delito, fica vários anos na cadeia e uma pessoa rica, que rouba milhões do povo, é presa pela manhã e solta à tarde." O senador Cristovam Buarque (PT-DF) responde: "Marcelo, desde o tempo em que o Brasil era império, tudo que o país tinha era em benefício de uma minoria. E isso continua. Por exemplo, uma pessoa que consegue terminar a universidade recebe bolsa para continuar estudando e fazer doutorado. Aquele que ainda não aprendeu a ler não recebe bolsa para ser alfabetizado. Mesma coisa ocorre com a Justiça. É uma Justiça que foi feita para servir sobretudo à minoria privilegiada, que pode pagar bons advogados e que tem leis que, inclusive, a protegem. Por isso, quem rouba um pão é preso, e quem rouba 1 milhão fica solto. No Brasil, as leis são feitas sobretudo para beneficiar uma minoria privilegiada."Fonte Jornal do Senado"
http://www.sumare.blogger.com.br/2004_11_01_archive.html Pobre preto e sem grana Você esta frito no Brasil ser for pobre,preto e analfabeto .para não perceber que esta questão é muito mais explícita do que parece,no Brasil ser bra nco(e de menor) e ter dinheiro é a certeza da impunidade quem esta nesta situação deita e rola. Mais de 70% da população carcerária no Brasil é preta... E o resto deve ser Pobre.Bem antigamente eu estava numa delegacia cuidando dos documentos de um carro e vi uma cena típica do Brasil.Um riquinho tinha cometido uma inflação(ou crime não fiquei sabendo direito)Sabe como ele compareceu ?com diversos Advogados para ensinar ele o que falar no depoimento.Foi tratado com tanto mimo,que parecia aquele casal do UNIBANCO.
Você sabe com quem esta falando Estas coisas não são raras.Quem realmente é um Doutor não liga para estas bobagens.. À mesa do gerente do banco, chega um senhora aparentando uns 20 e poucos anos. Com o peito estufado de razão, diz-se indignada com a atendente que não acatou a sua solicitação. O gerente, já mais do que acostumado com casos assim, deixou a cliente falar a vontade. Dizia ela que havia pedido para que em seu talão de cheques fosse timbrado uma abreviatura - Dr. - antes de seu nome. A atendente se contorceu na tentativa de convencê-la de que aquilo não era possível mas a(suposta) doutora insistiu em falar com seu superior. E lá estava ela diante do gerente que, por trás de sua mesa repleta de papéis, ouvia toda a sanga daquela senhora trajada toda de branco, do casaco aos sapatos. Ao término do discurso o gerente se debruçou na mesa e com os olhos apontados para os dela disse:Solucionaremos o seu problema. Se o senhora é uma doutora, tem total direito de exigir tal título em seu talão de cheques. - Enchendo a cliente de verdade, deu sua cartada final - Basta o senhora apresentar seu diploma de doutorado que imediatamente inseriremos o título em todos os seus impressos. A cliente, de nariz empinado, se ruborizou de tanta vergonha. Enfiou o rabinho entre as pernas como dizem por aí - e resmungou : Mas não tenho doutorado. Sou bacharel em medicina. O gerente então, que já havia pressuposto o desfecho, recostou-se de volta à sua cadeira giratória e encerrou: Então não há nada que se possa fazer.Passe bem.

Comments: Postar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?